(03) 9650 0538 contactus@abrisa.org.au

Finanças (Dicas gerais)

Fazer intercâmbio envolve muito planejamento, e dentre os principais é importante destacar o planejamento financeiro.

Frequentemente é possível notar que o sucesso do intercambista na Austrália, com a plena realização dos objetivos iniciais da viagem, está diretamente relacionado à disciplina e análise cuidadosa prévia dos gastos (ou melhor, investimentos) envolvidos na busca deste sonho.

Ir para uma escola de inglês ou universidade implica não somente em analisar o custo e taxas vinculadas ao estudo mas também despesas de acomodação, transporte, alimentação, materiais de estudo, viagens, entretenimento e outras pequenas despesas que, muitas vezes, podem passar desapercebidas, serem negligenciadas ou subestimadas.

O que é o planejamento financeiro? Trata-se da organização das informações de receitas e despesas estimadas e relevantes para um determinado período que pode ser desenvolvida através daquela boa e velha planilha ou, se não estiver tão familiarizado com ela, um simples caderno de notas ou ferramentas gratuitas disponíveis online (https://www.moneysmart.gov.au/tools-and-resources/calculators-and-apps/budget-planner?referrer=fido.gov.au).

Independentemente da forma, o importante é ter onde anotar as informações coletadas e tentar sempre analisar de forma pessimista para estar preparado para o pior cenário possível. Essa “planilha” a ser criada deve contemplar as despesas e receitas do período desejado de estudos e mais o período de férias que os estudantes tem direito.

Onde coletar as informações? Essa talvez seja a parte mais complicada e perigosa. Existem muitas fontes de informações confiáveis disponibilizadas pelas cidades, escolas ou universidades. No entanto, são estimativas que podem ou não estar alinhadas com o seu perfil. Cada um tem um hábito de consumo diferente então é importante buscar adequar as informações adquiridas com o seu perfil e seus desejos. Por mais que seja difícil pensar nessas possibildiades à distância, é importante ter em mente que viagens, restaurantes e as saídinhas nos finais de semana, são tentadores e podem representar mais que os gastos com moradia, alimentação básica e transporte, e podem se tornar a grande e desagradável surpresa.

Uma ferramenta que auxilia e da opções de analisar os gastos alinhados ao perfil pode ser encontrada em em http://insiderguides.com.au/cost-of-living-calculator/.

Gastos com moradia, transporte e alimentação podem variar consideravelmente de acordo com cada cidade ou até mesmo entre bairros da mesma cidade. Uma recomendação adicional e de grande valor para a pesquisa é de buscar referências de pessoas que vivem no local onde pretende fazer o intercâmcio para validar as informações encontradas.

 

Como se preparar para as variações cambiais?

Para o bom desempenho e alinhamento com o planejamento financeiro é fundamental estar atento às variações cambiais. Uma forma de se manter seguro, e se blindar de surpresas, é deixar pago as despesas vinculadas ao intercâmbio antecipadamente.

Abrindo uma conta bancária na austrália e do Brasil (com até 3 meses antes da vinda), é possível também já deixar transferiro o valor necessário para o período. Obviamente esta decisão implica em não se beneficiar dos rendimentos relativos às aplicações no Brasil nem às “possíveis” quedas do dólar, que poderiam tornar todo o investimento mais barato. Mas é uma forma de saber, com mais precisão, o quanto irá gastar.

Uma outra forma estratégica de administrar os recursos financeiros é pagar antecipadamente o que precisa ser pago antes da viagem, e as demais despesas recorrentes mensais transferir conforme a necessidade. Desta forma é possível aproveitar os rendimentos do Brasil, mas com o risco das oscilações cambiais, que pode ou não favorecer. É uma forma que pode ser interessante, mas que demanda maior disciplina e atenção às necessidades de caixa. Se esta for a decisão, é importante lembrar daquele conceito do planejamento financeiro do estudante dito anteriormente: ser pessimista.

 

Quando estiver convertendo os gastos pensais em dólar para real, considerar um câmbio pessimista. Claro que sempre podem haver surpresas desagradáveis ainda sobre os cenários pessimistas, mas de alguma uma forma, é uma estimativa. A empresa mais popular utilizada pelos estudantes para transferência é o TransferWise (https://transferwise.com/br) e com uma transferência realizada até 00:00 de brasília, no dia seguinte na Austrália o dinheiro já estará na conta. O intercambista também tem que tomar a decisão de quanto tempo ficar. Não existe uma resposta correta a respeito do tempo ideal. Mas do ponto de vista financeiro é importante ter ciência que quanto maior o período, maior será o investimento.

 

Muitos estudantes se encorajam em fazer o intercâmbio sem ter a totalidade dos recursos financeiros necessários para todo o período. Particularmente, acho muito perigoso!

O que acontece frequentemente com estudantes que tomam está decisão é de desviar o foco do objetivo inicial, primeiramente direcionado ao aprendizado de uma nova língua ou na dedicação em algum outro curso, para uma busca dramática por emprego para conseguir pagar as contas e comprometendo assim os estudos e promovendo possívelmente um abalo emocional. Portanto, a sugestão é que o estudante tenha o dinheiro necessário para se estabelecer durante todo o período de estudos, e pensar no trabalho na Austrália como um extra para fomentar os passeios, viagens, novos estudos ou em uma reserva para quando voltar ao Brasil.

 

 

Escrito por: Gustavo Prohaska
Formação: MBA pelo Insper e pós-graduando pela
Universidade de Melbourne.